Juliana Ramalho, CEO da Talento Sênior, conquista primeiro lugar no Prêmio Sebrae Mulher de Negócios

Compartilhe este post!

Executiva fundou a empresa e inaugurou um novo formato de contrato de trabalho no conceito Talent as a Service para profissionais 45+

Juliana Ramalho, fundadora e CEO da Talento Sênior – empresa de Talent as a Service, que atua na contratação de profissionais 45+ sob demanda – acaba de conquistar o primeiro lugar no Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, pelo Estado de São Paulo, na categoria Pequenos Negócios.

A Talento Sênior estreou no mercado propondo um novo modelo de contratação de pessoas maduras, com experiência e conhecimento acumulados em suas trajetórias profissionais e que desejam continuar atuando no mercado de trabalho. O modelo é o Talent As a Service, ou TaaS, uma alusão ao conceito do Software As a Service (SaaS) da seara tecnológica.

O Prêmio Sebrae Mulher de Negócios é uma iniciativa que valoriza e incentiva o empreendedorismo feminino no Brasil, reconhecendo o trabalho e a dedicação de mulheres empreendedoras que contribuem para o desenvolvimento do país.

Como nasceu a Talento Sênior

Engenheira de formação, Juliana Ramalho atuava como executiva em um banco comercial, mas estava em busca de realizar um sonho nos tempos de mestrado, que era o de empreender para incluir profissionais sêniores no mercado de trabalho. Os planos foram fortalecidos quando ela encontrou uma amiga de infância, Carolina Ignarra, que após um acidente de moto aos 20 anos de idade, tornou-se paraplégica e começou a planejar seu próprio negócio para

ajudar as empresas a realizarem a inclusão produtiva, a partir do letramento da diversidade.

Os dois sonhos acabaram se transformando em um novo negócio. Em 2008, elas fundaram juntas a Talento Incluir, que inicialmente atuava na empregabilidade de pessoas com deficiência. Há dois anos, a consultoria ampliou sua atuação para criar o Grupo Talento Incluir, que se tornou um ecossistema de diversidade e inclusão, reunindo diversas frentes de negócios, sendo a Talento Sênior um deles.

O desejo de trabalhar para a empregabilidade do profissional sênior surgiu da indignação de Juliana Ramalho ao ver que seus colegas de banco recebiam uma caixa de papelão, para que colocassem seus pertences e se despedissem da empresa. Isso, somente porque, ao completarem 60 anos, teriam que deixar a empresa em uma “aposentadoria forçada”. Ela então só pensava em como o país não faria mais uso de tanto conhecimento, renunciando algo tão caro, adquirido com tanto investimento.

Se a perspectiva de vida do brasileiro aumentou, nada mais justo promover meios para estender também a sua trajetória profissional, muitas vezes encerrada – não por falta de capacidade e produtividade, mas por puro preconceito, o chamado ETARISMO. O ‘Prêmio Sebrae Mulher de Negócios’ é um orgulho imenso para a Talento Sênior, que acaba de completar dois anos, e um reconhecimento importante do nosso propósito de promover melhores oportunidade para profissionais que querem e devem manter-se ativos e produtivos no mercado de trabalho”, conclui Juliana Ramalho.

Fonte: Revista Empreende